Senador afirma que recursos para pesquisa devem ser permanentes

C&T Política - BR

Em entrevista ao programa Salão Nobre, da TV Senado, o senador Otto Alencar (PSD-BA), que preside a Comissão Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), propôs que não haja possibilidade de contingenciar recursos para pesquisas, segurança pública, saúde, educação e infraestrutura, áreas que ele considera prioritárias para o país.

O senador acredita que o orçamento federal deveria ser impositivo, “para não dar condições de corte e não ser a ficção que é hoje, que desautoriza o Congresso”. Para o senador, os recursos para a pesquisa precisam ser repassados com fluxo permanente, sem interrupção, para não se colocar em risco anos de estudos que dependem de continuidade.

Otto Alencar disse, ainda, que o governo federal precisa tomar providências para revitalizar o Rio São Francisco, caso contrário, o rio vai morrer em 2032, segundo previsões de especialistas. Prova disso, de acordo com o senador, é que as cidades na foz do São Francisco já encontram dificuldades para conseguir água doce, porque a água do mar chega a mais de 12 quilômetros rio adentro. Ele alerta que o aumento do desmatamento vai gerar dificuldades no abastecimento de água em todo o país.

Anunciou também que vai pedir ao Tribunal de Contas da União que fiscalize o pagamento de US$ 320 milhões pelo Brasil ao governo da Ucrânia para a reconstrução da Base Espacial de Alcântara, no Piauí. A obra não foi concluída e “os 320 milhões, ninguém sabe para onde foram”, disse o presidente da CCT. Ele também quer ouvir os ex-presidentes da Agência Espacial Brasileira.

(Agência ABIPTI com informações da Agência Senado)