Telebras deve lançar nos próximos dias edital para exploração do SGDC

C&T Gestão - Gestão

A Telebras vai lançar um edital nos próximos dias a fim de selecionar as empresas que participarão do processo de licitação para explorar o sinal do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), lançado no início de maio. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (17) pelo diretor do Departamento de Banda Larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Artur Coimbra.

"Com esse objetivo o edital vai dar condições isonômicas para que qualquer empresa ou entidade interessada possa se manifestar e ter a possibilidade de firmar contrato com a Telebrás para usar a capacidade do satélite e prestar o seu serviço”, afirmou Coimbra, durante audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados.

A deputada Margarida Salomão (PT-MG), que solicitou a audiência junto com a deputada Luiza Erundina (Psol-SP), destacou a importância do acompanhamento, pela Câmara, do processo de licitação. “Há um pedido de informação que está sendo feito pela deputada Luciana Santos (PCdoB-PE) para o Ministério da Ciência e Tecnologia solicitando essas informações. Esse é um processo crescente de controle social de algo tão vital hoje como são as comunicações democráticas."

A fase de testes do satélite após o lançamento dura de 2 a 3 meses. Na segunda quinzena de julho, ele terá pleno funcionamento, ou seja, já estará cobrindo 100% do território brasileiro com sinal de banda larga de alta capacidade. O SGDC também dará segurança às comunicações estratégicas de governo e de defesa.

Atualmente estão em funcionamento dois gateways, ou pontes de ligação, com o satélite geostacionário, localizados em Brasília e Rio de Janeiro. O diretor-técnico operacional da Telebrás, Jarbas José Valente, informou que o satélite se comunicará com mais outros três, em Florianópolis, Campo Grande e Salvador.

O lançamento do satélite, segundo ele, acompanha o crescimento da telefonia celular e do acesso à internet no Brasil. Mais de 90% das residências têm telefone celular e quase 60% têm acesso à internet, em grande parte feita pelos próprios celulares.

Além do SGDC, a Telebrás trabalha com outros projetos estratégicos para 2017 e 2018, que atendem também a cobertura rede terrestre e o cabo submarino Brasil-Europa que, com seus 9.500 quilômetros, deve começar a operar em 2019 e vai reduzir em quase a metade o tempo de comunicação de dados entre os dois lados.

(Agência ABIPTI, com informações da Agência Câmara)