Alemanha e Brasil podem intensificar cooperação em bioeconomia

C&T & Agro - BR

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) pretende intensificar a cooperação com a Alemanha nas áreas de bioeconomia e sustentabilidade. Em reunião nesta semana na sede da pasta, em Brasília (DF), técnicos alemães e representantes do governo federal apontaram os setores com maior probabilidade de parcerias futuras.

As áreas de interesse dos alemães são o melhoramento genético, ações para mitigação das mudanças climáticas, sistema de integração lavoura, pecuária e floresta (ILPF), controle biológico de pragas, agricultura de baixo carbono, entre outros.

De acordo com o Mapa, as novas fronteiras de crescimento mundial da bioeconomia para o agronegócio são os biorreatores; a reprodução vegetal e animal assistida; biotecnologia florestal; coleta e conservação de germoplasma (banco de sementes), plantas resistentes e transgênicos.

A bioeconomia é voltada ao cruzamento e melhoramento de plantas e animais, produção de combustíveis renováveis e alimentos funcionais. O Brasil está na vanguarda da bioeconomia porque tem a maior biodiversidade do planeta; os menores custos na produção de biomassa, principalmente de cana-de-açúcar; e agricultura tropical avançada, baseada na aplicação da ciência e da tecnologia

(Agência ABIPTI, com informações do Mapa)